segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Canção - Cecília Meireles

Pus o meu sonho num navio
e o navio em cima do mar;
depois abri o mar com as mãos,
para o meu sonho naufragar.
Minhas mãos ainda estão molhadas
do azul das ondas entreabertas,
e a cor que escorre dos meus dedos
colore as areias desertas
O vento vem vindo de longe,
a noite se curva de frio;
debaixo da água vai morrendo
meu sonho dentro de um navio...
Chorarei quanto for preciso,
para fazer com que o mar cresça,
e o meu navio chegue ao fundo
e o meu sonho desapareça.
Depois, tudo estará perfeito:
praia lisa, águas ordenadas,
meus olhos secos como pedras
e as minhas duas mãos quebradas.

2 comentários:

  1. Can I simply say what a relief to discover somebody who genuinely understands what they're talking
    about over the internet. You certainly know how to bring an issue to
    light and make it important. More and more people must check this out and understand this side of the story.
    I can't believe you're not more popular since you surely possess the gift.



    Feel free to visit my web blog: cheap cpanel reseller hosting

    ResponderExcluir

Use corretamente o português.

(Comentários anônimos não são permitidos.
Escolha a opção "Nome/URL").

Obrigada por manifestar-se e volte sempre.

Abraços da Extraterrestre!